Tradutor

♛Curta nossa Fan Page♛

'Bonequinha de Luxo', vestido preto completa 50 anos



MELANIE ABRAMS
CAROLA LONG
DO FINANCIAL TIMES
"Bonequinha de Luxo", o filme que provavelmente foi o principal responsável por imortalizar o vestidinho preto básico, chega aos 50 anos este mês. Para celebrar a efeméride e um filme que dita estilo até hoje, a editora Rizzoli acaba de publicar um livro que inclui o roteiro, fotos de cenas e imagens de bastidores que mostram a esbelta Hepburn usando o singelo vestido Givenchy que se tornou um símbolo duradouro de elegância discreta.

Passado meio século, o vestido preto básico parece jovem como sempre. Embora continue a ser peça básica em qualquer guarda-roupa, os estilistas não param de reinventá-lo de maneiras cada vez menos tradicionais.


Timothy Long, curador da seção de roupas do Museu de História de Chicago, diz que "agora temos oportunidades amplas e variadas para a moda, e por isso surgiram divergências na definição do vestido preto básico. É um vestido tubo? Tem cintura alta ou baixa? É pregueado ou tem saia dupla na cintura? Talvez a única coisa que continue a ser clássica, hoje, é a ideia original: a de que se trata de um vestido fácil de usar e apropriado para muitos eventos".

Paradoxalmente, o status clássico conquistado pelo vestido preto básico significa que, a fim de reinventar a roda a cada temporada, os estilistas muitas vezes forçam os limites de maneiras inesperadas. Basta verificar as versões do vestido preto básico nas coleções de outono, as mais extremas já propostas graças ao uso de renda e couro. Vestidos com corpetes muito apertado, alças justas e painéis sedutoramente transparentes sugerem que o modelo clássico está assumindo nova forma.

O estilista Emilio de la Morena diz que "o vestido preto básico desta temporada serviu como desculpa para algumas loucuras, para acrescentar algumas de minhas ideias sobre tecidos e ornamentação de uma maneira inteligente -por exemplo com o uso de organza rasgada deliberadamente e depois remendada, para criar um efeito de corte irregular".

Os tecidos também desempenham papel importante na coleção de Mark Fast, na qual o estilista combinou lã merino e mohair no seu vestido preto básico para "criar drama e sofisticação". Enquanto isso, os buracos estrategicamente posicionados de Fast, como os painéis transparentes inseridos em seus modelos por Stella McCartney, tornam os novos vestidos pretos básicos perceptivelmente menos discretos. "O objetivo é expor a pele, o que é muito mais provocante", diz Ruth Runberg, diretora de compras da Browns, uma loja de moda feminina.





A atriz norte-americana Audrey Hepburn posa como Holly Golightly, sua personagem do filme 'Bonequinha de Luxo'


Laura Larbalestier, gerente de compras de moda feminina na loja de departamento londrina Selfridges, diz que "os vestidos de bolinhas de Stella McCartney são identificáveis, inovadores, modernos e divertidos. São vestidos que uma mulher usa para satisfazer a ela mesma, sair e se divertir. Não são vestidos de noite sérios, como o de Audrey, que era sofisticado, muito básico e não muito divertido".

A estilista Angie Smith diz que "a moda vem tendo que se esforçar mais, em termos gerais, e o mesmo vale para o vestido preto básico. Tudo precisa ser mais usável. As mulheres já não separam as roupas diurnas das noturnas, em seus guarda-roupas. Hoje, um vestido precisa servir a múltiplas ocasiões, e é aceitável usar vestidos menos sofisticados à noite e vestidos mais sofisticados durante o dia. Os vestidos pretos básicos das coleções outono/inverno de 2010/2011 ficariam igualmente bem com botas pretas de motociclista ou sapatos de salto agulha".

O vestido de renda criado por Antonio Berardi, por exemplo, funciona para uso diurno e pode também, com alguns toques adicionais, servir para uma noitada. Os vestidos acinturados de couro da Louis Vuitton usam curvas arquitetônicas, e as bainhas alongadas de Alexander McQueen aumentam o comprimento. Em certos casos, um toque masculino surge como acentuação. Fast diz que "meu modelo de malha e couro, com a traseira mais longa, acrescenta um toque mais casual e divertido a um look clássico".

No entanto, em certa medida o vestido preto básico sempre foi subversivo, desde que Chanel começou a vestir as adeptas da moda dos anos 20, como a Duquesa de Windsor, com uma cor e tecido em geral usados por freiras, viúvas e empregadas domésticas. Assim, talvez não surpreenda que esse tipo de modelo continue a refletir a mulher moderna, seja a dos anos 20, seja a atual. "O vestido preto básico continua a ser uma opção segura para um look elegante e bem composto, porque as mulheres têm muito com quem se preocupar, no trabalho, em casa, na família e em viagem, e ele desempenha múltiplos papéis e permite que as mulheres se preocupem com outras coisas", diz Runberg.

Como afirma a Kerry Taylor, casa de leilões de moda clássica que já vendeu entre outras peças o vestido preto básico que Hepburn usou em "Como Roubar Um Milhão de Dólares" (1966), "o vestido preto básico sempre muda mas continua a encapsular o clima e o look de sua era, eliminando todos os demais elementos, como cores e estampas, seja nos curvilíneos modelos nos anos 30, nos modelos sexy e com fendas profundas criados por Ossie Clark nos anos 70 ou no vestido de borracha preta que Lady Gaga usou nesta temporada".



Seja para o desjejum, o almoço ou o jantar, o vestido preto básico sempre tem lugar na mesa da moda.

RELEITURAS

Em uma das cenas iniciais de "Bonequinha de Luxo", Hepburn é acordada pelo vizinho, que bate à sua porta. E a peça de roupa que a conduz de sonolenta a sofisticada em questão de minutos é, evidentemente, o vestido preto básico.

Agora, o poder transformador desse modelo foi transformado em uma linha modular de vestidos para todo uso pelo guru da moda vintage, Didier Ludot, para a Petit Bateau, uma grife de camisetas peculiarmente francesas. Os modelos tomam a elegância instantânea do vestido preto básico e a combinam com a facilidade de uso e o conforto do algodão. Coordenação complexa ou lavagem a seco especializada não são necessárias.

Desde 1974, Ludot se especializa nos modelos vintage de grandes estilistas do século 20, como Cristóbal Balenciaga, Coco Chanel, Elsa Schiaparelli e Yves Saint Laurent.

Ele opera duas lojas no Palais Royal de Paris, uma para alta costura e a outra para prêt-à-porter. Em 1999, abriu uma terceira loja, a Petite Robe Noire, que vende vestidos vintage, e desde então vem criando 13 vestidos pretos básicos a cada temporada, em colaboração com o estilista Felix Farrington.

As grandes figuras da moda dos anos 60 serviram de ponto de partida para a linha Petit Bateau de Ludot, dirigida a mães e filhas.

Ludot diz que "foi um desafio criar três vestidos modernos, elegantes e fáceis de usar, para uma marca muito conhecida e que simboliza os trajes simples", e por isso sua solução foi se concentrar em uma abordagem de "menos é mais", com "formas gráficas e bonitas".

O primeiro modelo é o Catherine, justo e de mangas compridas, com um colarinho branco, inspirado por Catherine Deneuve (159 libras na versão adulta e 69,50 libras na versão infantil). O segundo é o Audrey, um vestido tubo simples e sem mangas, com gola reta, e o terceiro é o Twiggy, um vestido tubo tomara que caia com bolsos arredondados. Também há boleros listrados que fazem referência aos tops Marinière, a mais conhecida linha da Petit Bateau para crianças e adultos. Todos refletem a simplicidade dos vestidos que Ludot considera os mais memoráveis da história: o vestido Ford de Chanel, os estilos que Yves Saint Laurent criou para Catherine Deneuve em "Bela da Tarde", todas as peças criadas por Hubert de Givenchy para Audrey Hepburn e, mais recentemente, os vestidos de Miuccia Prada nos anos 90.

Seu veredicto sobre o segredo do vestido preto básico? "Ele acaricia e protege uma mulher, e a torna glamurosa. Faz com que se sinta segura de si". Afinal, é um produto testado e comprovado já há quase um século.

A coleção já está sendo exibida na loja de Ludot, a Petite Robe Noire, e estará à venda internacionalmente a partir de 5 de dezembro nas lojas Petit Bateau (http://www.petit-bateau.com/).

3 comentários

  1. Oi Martika! Parabéns pelo conteúdo do blog. Tô adorando!!!
    Gostaria de convidá-la para visitar nosso site:

    www.vintagetaste.com.br

    Beijão,

    Ana

    ResponderExcluir
  2. Oieeeee
    que luxo!!!!

    Amei de paixão esse cantinho!!!!!!
    Já tô seguindo,com certeza!!!

    *muaahhh*

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Tão jovem! Para mim é tão essencial que pensei qu ele tinha uns dois mil anos,kkkkk!
    Parabéns Martika, seu blog está cada vez melhor!
    Beijokas.

    ResponderExcluir

Obrigada ! Gosto muito de ler seu comentário aqui!
Volte sempre.
@pinupsdobrasil

Map

Topo